quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Escolhas

PORTUGUES:

A vida é feita de escolhas... de caminhos que se abrem a nossa frente... de bifurcações que nos fazem pensar e decidir... de pontes que aparecem para serem atravessadas... ou não... de rios que se apresentam para serem atravessados... de sonhos que querem se transfomar em realidade... A vida é feita de vida... As escolhas aparecem diante dos nossos olhos e decidimos consciente ou inconscientemente. Quando pequenos, temos que decidir entre um brinquedo ou outro, uma roupa ou outra, mas essas coisas que parecem simples aos olhos dos adultos já são o início das primeiras decisões que precisamos tomar em nossa longa caminhada. Crescemos e muitas vezes precisamos ir em frente e para isso novos caminhos vão-se abrindo, várias encruzilhadas aparecem diante dos nossos olhos e muitas escolhas devem ser feitas.


Eis aqui uma das grandezas do ser humano: a capacidade de decidir. E eis aqui uma das suas misérias: decidir-se por alguna coisa implica rejeitar as outras alternativas. Decidir não é mais que o facto de descartar. E descartar sempre é doloroso, porque quer dizer deixar de desfrutar ou descobrir o que havia num caminho alternativo. Que aventura perdemos? O que teria passado se em vez disso eu tivesse feito aquilo?

Quando passa o tempo, e uma pessoa faz 30 ou 40 anos,  pergunta-se a ela p´ropria: Que teria passado se tivesse escolhido medicina em vez de biologia? Como seria minha vida? E então começa a inventar uma vida paralela, extraordinária e excitante. Imaginando que conheceu uma enfermeira com quem se casou e viveu com ela alguns anos nos Estados Unidos. Claro que o contrário também pode acontecer: se não tivesse escolhido biologia, não teria ido estudar naquela cidade e não teria conhecido aquela amiga, que me apresentou a minha actual mulher. E então os meus filhos não existiriam… onde estariam? Onde estaria eu se os meus pais não se tivessem conhecido? E se o espermatozóide que levava minha identidade tivesse ficado um milímetro para trás, com os milhões que não chegaram ao óvulo da minha mãe? O que sou eu? Uma coincidência? O que é minha vida? Quem realmente decide?

Ei a questão! Tens resposta?


INGLES:

Life is about choices ... paths that open before us ... bifurcations that make us think and decide ... bridges which appear to be traversed ... or non ... of rivers that have to be traversed ... dreams of wanting to transfomar in reality ... Life is life ... The choices appear before our eyes and we decided consciously or unconsciously. When small, we have to decide between a toy or another, an outfit or another, but these things seem simple in the eyes of adults are already the beginning of the first decisions we must make in our long walk. We grow and often need to go ahead and go for that new avenues opening up, several crossroads appear before our eyes and many choices must be made.Here is one of human greatness: the ability to decide. And here is one of their misery: by deciding alguna thing implies rejecting other alternatives. Deciding is no more than the fact discard. And rule is always painful, because it means no longer enjoy or find out what was an alternate path. What an adventure we lost? What would have happened if instead I had done that?When time passes, and makes a person 30 or 40 years, wonders if she p'ropria: What would have happened if he had chosen medicine instead of biology? How would my life be? And then begins to invent a parallel life, extraordinary and exciting. Imagining he met a nurse whom he married and lived with her a few years in the United States. Of course, the opposite can also happen: if he had not chosen biology, ido not have to study that city and would not have known that friend who introduced me to my current wife. And then my kids would not exist ... where? Where would I be if my parents had not known? And if the sperm carrying my identity had been one millimeter back, with the millions who have not arrived at my mother's egg? What am I? A coincidence? What is my life? Who really decides?Hey the question! Did you answer?